DOENÇAS PROVOCADAS POR VÍRUS E BACTÉRIAS:

 

Coccidiose – A coccidiose intestinal da galinha é devida á presença d uma bactéria a Eimeriatenella que produz uma afecção grave e contagiosa, causadora de perdas consideráveis.

É muito resistente podendo viver de um ano para o outro sob uma forma de resistência denominada  oocisto. São principalmente os animais novos os mais atacados e os menos resistentes.

A infecção faz-se por via digestiva e são as aves que comem as fezes contaminadas que apanham a doença.

Os pintos doentes mostram-se arrepiados com as asas caídas, friorentos, umas vezes o apetite mantém-se outras não, geralmente são afectados na 1º á 10º semana.

PROFÌLAXIA: Higiene nos galinheiros, separar as aves afectadas, alimentação á base de lacticínio dá bons resultados.

Também existe no mercado diversos produtos para misturar na água que obtém bons resultados, quer como cura, como prevenção.

Cólera – Também designada  pesteurelose aviária , é uma doença que devasta as capoeiras onde entra e propaga-se de uma maneira rápida e assustadora.

O contágio faz-se pelos excrementos, pela água e também pelos pássaros que entrem em contacto com as galinhas.

A bactéria que causa a doença Pasteurella avicida , pulula nos excrementos das aves e aí resiste por muito tempo. As aves doentes perdem rapidamente o apetite e todo o vigor. Apresentam-se com as penas eriçadas muito tristes, a crista violácea ou quase preta, muitas vezes uma diarréia abundante e pelo bico deixam escorrer uma espécie de baba, morrem ao fim de algumas horas.

Observa-se também a evolução desta doença em forma aguda e crônica.

PROFILAXIA: Quando entra a doença dificilmente se consegue salvar as aves.

Para prevenir convém as aves estarem vacinadas e haver uma boa higiene e ventilação.

Se alguma vez detectar a doença abata as aves afectadas e queime-as, desinfecte muito bem todos os galinheiros. 

Coriza – É uma doença das vias respiratórias caracterizada pela inflamação das mucosas do aparelho respiratório, podendo por vezes atacar o globo ocular.

É transmitida pela bactéria  Haemophilusgallinarum.

Na forma benigna as aves conservam quase a vivacidade normal, notando-se no entanto a saída pelas narinas de um liquido mucoso.

Na forma grave, complica-se os sintomas e as aves aparecem com inflamações  da face devida à acumulação de exudado nos seios  infra-orbitários , corrimento nasal abundante que obstrui as narinas, tosse, falta de apetite, inapetência, espirros frequentes.

Por fim vem a morte que pode atingir 50% dos efectivos.

PROFILAXIA: Separar as aves afectadas. Higiene e boa ventilação dos galinheiros, boa alimentação rica em vitamina A , antibiótico na água de bebida.

Difteria – É fácil diagnosticar a difteria pois as aves atingidas apresentam umas falsas membranas amareladas no bico, post-boca, olhos, cavidades nasais, também podem apresentar vesículas e pústulas ( verrugas) na crista, face, barbilhões, cloaca e pele.

PROFILAXIA: As aves afectadas devem ser separadas, as gravemente atacadas, devem ser mortas e os corpos queimados.

Proceder a uma desinfecção de todos os galinheiros.

Vacinação de todo o efectivo. Há vários tipos de vacina conforme os casos.

Os que não estão muito afectado acompanhar com antibiótico e nas verrugas lavar com tintura de iodo.

Peste aviária – Afecção epizoótica provocada por um vírus filtrável.

Confunde-se muitas vezes com a cólera ou com a tifose, os sintomas são muito semelhantes. Para um bom diagnóstico chamar o Médico-Veterenário.

Doença Crônica Respiratória ( C.R.D.) – Doença frequente causado pela bactéria Mycoplasma Gallinarum  geralmente associada a outros agentes patogénicos.

Sintomas característicos com corrimento nasal e por vezes ocular, perda de apetite e peso, mas geralmente estes sintomas vêem acompanhados com o inchaço da cabeça e dificuldade respiratória.

Pode transformar-se em doença crônica, levando as aves bastante tempo a morrer.

PROFILAXIA: Vacinar os pintos e revacinação. Graduar a ventilação, evitar a grande aglomeração de aves, alimentar racionalmente.

Não incubar ovos de galinhas afectadas.

Doença de Newcastle – Também conhecida por pseudo-peste é provocado por um vírus

As aves afectadas apresentam no principio uma diarréia abundante por vezes esverdeada, respiram com dificuldade,  tossem  e espiram com frequência.

Mais tarde começam a aparecer sintomas nervosos, os animais tomam atitudes esquisitas, andam com a cabeça para trás, o pescoço torcido, os tarsos assentes no chão.

PROFILAXIA: Vacinação dos pintos nos primeiros 15 dias de vida. Revacinação.

Proceder á separação das aves doentes. Uma boa desinfecção dos galinheiros.

Pulurose ou Diarréia branca bacilar -  Doença provocada pela Salmonella Pulorum .

É uma doença aguda e mortal que ataca os pintos, os pintos atingidos por essa doença morrem mais de 90%.

Nas aves adultas a doença existe no estado crônico, as aves não sentem a menor perturbação, mas o facto da doença estar localizada nos ovários o ovo é portador da bactéria que assim infecta o pinto.

Os sintomas são os seguintes: nos primeiros dias os pintos isolam-se, ficam com sono e apresentam diarréia, as asas estão pendentes, não comem e a respiração acelerada, depois morrem rapidamente.

A partir do 6 dia a mortalidade diminui, nessa altura percebe-se que a cavidade abdominal está distendida, esses morrem ou desenvolvem-se mal.

Nos adultos os sintomas não se verificam apenas a postura é irregular e sofre paragens mais ou menos longas.

PROFILAXIA: Pronta eliminação das aves portadoras da doença ( dá para alimentação), não incubar ovos dessas aves, desinfecção da chocadeira . ( ver secção incubação).

Antes de abater as aves convém chamar o Médico para ele efectuar o teste Soro ou Hemo-aglutinação, e só se der positivo é aconselhável abater as galinhas afectadas.

Tifose – Doença provocada pela Salmonela gallinarum , sintomas muito idênticos á cólera, com a diferença que aparece mais na evolução sub-aguda.

As aves demoram entre 5 a 7 dias a morrer.

PROFILAXIA: Vacinação, boa higiene.

Tuberculose – Doença provocada pela bactéria Mycobacterium tuberculois avium.

Quando esta doença se instala numa criação de galinhas é quase impossível vermo-nos livre dela.

Os sintomas são principalmente o emagrecimento, seguido de palidez da crista e mucosas, por fim um enfraquecimento geral e diarréia, seguida de morte do animal.

A tuberculose localiza-se geralmente no fígado e no intestino, sendo rara a tuberculose pulmonar.

O fígado aparece semeado de pequenos pontos brancos.

PROFILAXIA: Não existe tratamento.

Abater as aves contaminadas e queimá-las.

Proceder a uma desinfecção profunda.

Explorar só galinhas novas, até o máximo de 3 anos.