INCUBAÇÃO ARTIFICIAL

Aqui vou tentar explicar a forma de incubar os ovos artificialmente através de incubadoras.

TEMPERATURA

Factor importante para uma boa incubação, a temperatura deve ser correcta e constante sem grandes oscilações, a temperatura indicada para ovos de galinha, perus, patos, faisões, pavões, é de 37,7 ºCelsius, para incubadoras de ar forçado ( aquelas que dispõem de ventoinha no seu interior ).

Para incubadoras sem ventilação forçada a temperatura deve ser mais elevada, entre os 38ºC a 38,5ºC.

HUMIDADE

O mais importante para obter bons resultados, é uma humidade correcta, por vezes difícil de obter mas com o decorrer do tempo e a experiência obtida consegue-se chegar a bons resultados.

Para ovos de galinha a Humidade correcta deve situar-se nos 45% a 55% nos primeiros 15 dias de incubação nos últimos 7 dias a Humidade deve ir subindo até chegar aos 55% a 60% na altura do nascimento. Para patos e faisões aplica-se o mesmo sistema nos primeiros 15 dias e nos restantes até á eclosão deverá ser dos 60% até 70% a humidade. Nos ovos de pato e ganso convém após 15 dias de incubação o arrefecimento dos ovos diariamente, retirando-os da incubadora por curto espaço de tempo até eles arrefecerem ligeiramente, voltando a coloca-los de novo na incubadora, nos dois últimos dias essa operação não se faz.

Atenção: Incubações que decorrem em ambiente seco dão origem a baixas percentagens de eclosão e grande parte dos embriões morrem entre o 16º e 19º dia; os pintos nascem pequenos e muitos deles aleijados ou agarrados á casca. Com falta de humidade as câmaras de ar apresentam-se demasiado grandes.

O excesso de humidade conduz à morte de embriões próximo do 19º dia de incubação, e ao nascimento de aves aleijadas, edemaciadas, viscosas, sujas e com parte da gema por absorver. Com humidade elevada as câmaras de ar apresentam-se pequenas.

VIRAGEM DOS OVOS

Esta operação é necessária pois visa essencialmente, evitar que se formem aderências do embrião à casca e favorecer a circulação sanguínea. Se a incubadora for automática esse movimento é feito por ela. Caso não seja os ovos devem ser virados pelo mínimo 2 vezes por dia.

MIRAGEM DOS OVOS

Durante o decorrer da incubação convém fazer a miragem dos ovos com um ovoscópio ( ou uma lâmpada com a luz a inserir sobre o ovo ), não só para retirar os ovos inférteis como aqueles em que o embrião tenha morrido, geralmente fazem-se duas miragens ao 7º dia e ao 14 º dia, na primeira retiram-se os inférteis e os mortos se não tiver duvidas, na segunda as duvidas já estarão esclarecidas e se estiverem mortos os embriões retiram-se os ovos, a segunda miragem também serve para observar se as câmaras de ar estão a desenvolver-se conforme o desejado.

DESENVOLVIMENTO DO EMBRIÃO

                      1 dia                                   2 dia                                 3 dia                                     4 dia                                    5 dia

                      6 dia                                   7 dia                                 8 dia                                   9 dia                                      10 dia

                      11 dia                                  12 dia                                13 dia                               14 dia                                     15 dia

                   16 dia                                    17 dia                                 18 dia                               19 dia                                  21 dia

UM VÍDEO INTERESSANTE

 

FUMIGAÇÃO E DESINFECÇÃO DOS OVOS

A Fumigação dos ovos é muito importante pois através dela vamos eliminar as bactérias prejudiciais na incubação. A incubadora antes de lá serem colocados ovos deve ser desinfectada inicialmente.

A Fumigação é efectuada antes dos ovos entrarem na incubadora de preferência ou já dentro dela e consiste nos ovos serem fumigados com o vapor do desinfectante que consiste nas seguintes percentagens por m3 : Formol 13 cc / Permanganato de Potássio 6 gr. Na caixa ou na incubadora onde se encontram os ovos deitar o Formol sobre o Permanganato fechar a porta e deixar actuar durante 30 minutos. Atenção: Se a operação ocorrer na incubadora não deve ser efectuada depois dos primeiros 5 dias de incubação.

CUIDADO : Os gases libertados pela reacção são tóxicos, evitar inala-los, depois de feita a fumigação se quiser anular o odor colocar dentro do local onde foi feita a fumigação um pequeno recipiente com amoníaco, por pouco tempo.

ACIDENTES DE INCUBAÇÃO

Muitas vezes a incubação corre mal sem motivo aparente, passo a tentar explicar alguns dos motivos para que tal aconteça, embora não se possa considerar que muitas vezes sejam essas as causas na maioria dos casos são e se tentarmos a solução resulta na perfeição, pois se não nascem tem de se procurar a causa disso.

Muitos ovos não fecundos : Poucos galos, Galos velhos, Ovos velhos, Carência de vitamina E nos reprodutores.

Morte precoce dos embriões : Temperatura de incubação incorrecta, Mau estado sanitário das aves, Fumigação fora do tempo prefeito.

Morte embrionária do 12º ao 18 º dia : Temperatura imprópria, Deficiências alimentares, Ventilação insuficiente.

Pintos mortos na casca após o 18º dia : Consanguinidade estreita ou outras causas hereditárias, Deficiência na viragem dos ovos, Temperaturas impróprias.

Ovos picados com pintos mortos : Baixa humidade, Temperatura média baixa ou excesso de temperatura durante um período.

Eclosões precoces. Pintos com umbigos sanguinolentos : Alta temperatura

Eclosões tardias : Baixa temperatura

Pintos agarrados á casca : Baixa humidade durante a eclosão

Pintos viscosos ou sujos : Baixa temperatura, Excessiva humidade.

Pintos muito pequenos : Ovos pequenos, Baixa humidade, Alta temperatura.

Pintos indolentes : Baixa temperatura, Deficiente ventilação.

Pintos aleijados ou mal formados : Factores letais ou outras causas hereditárias, Consanguinidade, Irregularidade na temperatura.

Pintos amarelados : Fumigação exagerada.

APÓS O NASCIMENTO

Após o nascimento dos pintos deixa-los dentro da nascedoura ou incubadora durante 48 horas, pois eles vão alimentar-se do saco vitelino.

Passadas 48 horas retira-los, e coloca-los num local seco e limpo, deverá haver uma lâmpada de infravermelhos ou aquecedor a gás ou eléctrico, pois eles necessitam de calor, a temperatura não deve passar dos 36º C, após a 1º semana ir baixando a temperatura semanalmente de maneira que á 6º semana esteja nos 20ºC no inverno, no verão geralmente após a 3º semana não é necessário aquecimento.

A alimentação dos pintos deve ser uma ração própria para pintos, pois geralmente essas rações já tem na sua composição as proteínas necessárias a um bom desenvolvimento da ave.

Devesse proceder á vacinação contra a doença de Newcastle entre o 2º ao 7º dia de vida. Revacinar ás 4 semanas.

Se verificar que surge sangue nas fezes, é um dos sintomas da coccidiose, medicamentar logo todos os pintos e verificar as camas pois devem de ter de se mudar e desinfectar o local.

Lembre-se sempre que se nas primeiras semanas a alimentação e higiene não for aconselhável, terá repercussões futuras nos exemplares quando adultos, nunca exagere nos medicamentos ou antibióticos ou o pinto criará resistências a eles e um dia mais tarde se necessitar deles não farão o devido efeito.

Separar os pintos doentes e se a cura se tornar difícil ou impossível mais convém elimina-los.

Eliminar os pintos deficientes, pois dificilmente conseguiram ser bons exemplares.

TEMPOS DE INCUBAÇÃO

    GALINHA       21   DIAS                        PATA              28 DIAS
      CODORNIZ     16 - 17  DIAS      PATA MUDA  34 - 37  DIAS
      PERUA            28 DIAS   PINTADA       26 - 28  DIAS
   GANSA            30 - 34 DIAS   FAISÃO          24  DIAS

   AVESTRUZ     40 - 43 DIAS

   PAVÃO           27 - 30 DIAS